ShareShareShareShareShare

Trabalho / internet e multimedia / FIEP / Remodelação do site

A marca FIEP já não pretende ter uma presença discreta no mercado. Deixou de querer ser visto como um «fundo» a que se recorre, mas como uma empresa que procura parceiros para investir.
A primeira marca desenhada para o FIEP descreve a sua actividade: o envolvimento e o acompanhamento do percurso destas empresas para o exterior. O desenho inspira-se na linguagem própria dos diagramas, gráficos, tabelas e quadros, que são a face mais visível e comum do produto da actividade do FIEP, ao mesmo tempo que constituem instrumentos de análise e descrição rigorosa, foi criado com base nas premissas iniciais, em que o FIEP pretendia uma afirmação de credibilidade e, simultaneamente, de discrição em relação às marcas dos seus accionistas. Apesar de se assumir como um fundo de capital de risco para a internacionalização de empresas portuguesas, sabia também que se posicionava em paralelo com outros produtos oferecidos pelos seus próprios accionistas, pelo que era importante assegurar uma independência formal. Era ainda importante garantir que a marca não se confundisse, cromática ou formalmente, com alguma marca dos seus accionistas.

Alguns destes princípios alteraram-se entretanto. O FIEP já não pretende ter uma presença discreta no mercado. O FIEP deixou de querer ser visto como um «fundo» (uma palavra que lhe dá uma conotação estática) a que se recorre, mas como uma empresa que procura parceiros para investir. A presença do FIEP passará de institucional a activa, intervindo na prossecução dos negócios.

Partindo do príncipio que esta alteração deve ter lugar num contexto de continuidade, (ou seja, não existe uma ruptura com o que até hoje norteou a actividade do FIEP) a nossa proposta reside numa recontextualização dos elementos existentes, assegurando o reconhecimento adquirido: os dois corpos da imagem interagem de modo a criar uma imagem unificada a exprimir uma relação articulada e integrante.

O resultado pretende fazer referência ao resultado da parceria, e não tanto ao processo, como a forma anterior descrevia. Além disso, a eliminação do elemento de fundo (o quadrado) confere à marca um carácter mais sintético e autoportante, contrariando o estatuto de "organismo a que se recorre" da versão anterior. Também por esta razão, a segunda côr (amarelo) é mais saturada, para que a imagem não perca potencialidades de leitura.

Com o desaparecimento da palavra «Fundo» na sua designação, o FIEP adquire uma expressão mais empresarial, mais afirmativa, e não tanto descritiva.
Optou-se pela assinatura «Parceiro na Internacionalização», já utilizada no sentido lato na publicidade da 4ª Conferência, e uma vez que aponta para o bom equilíbrio entre o papel institucional e a nova atitude que se pretende expressar. Alterou-se também o tipo de letra da assinatura por razões de coerência de desenho com o símbolo.
 
[<][manual][>]
Maybe one day i'll learn Portuguese, until then, switch me to English.